dicas para fazer a melhor escolha


Entre diversos utensílios culinários, as panelas se destacam como itens indispensáveis para montar um kit de cozinha básico. Além da estética e do preço, há muitas outras questões a se considerar. O formato e o material, por exemplo, são aspectos determinantes no desempenho do recipiente, a depender do alimento e do método de cozimento adotado. Para entender melhor, descubra a seguir mais informações sobre os principais tipos de panela.

Tipos de panela e suas principais características

Considerando variações de formato, existem alguns tipos de panela distintos. A escolha do modelo ideal faz toda a diferença no resultado obtido ao preparar alimentos, pois influencia em aspectos como sabor e tempo de cozimento. Veja mais detalhes a seguir:

1. Panela com cabo

Talvez o mais comum dos modelos, a panela com cabo é muito versátil. Produzida em materiais e tamanhos variados, pode ser utilizada para preparar pratos simples ou elaborados, incluindo frituras, refogados e cozidos diversos. Ou seja, é um utensílio essencial que não pode faltar na sua cozinha.

2. Caçarola

A caçarola é outro tipo de panela bastante tradicional. Caracteriza-se pela presença de duas alças laterais, podendo ser encontrada em diferentes dimensões e materiais. Como costuma ser um pouco mais funda que a panela com cabo, ela conserva melhor o calor em seu interior, por isso, é ideal para alimentos que necessitam de maior tempo de cozimento, como carnes e ensopados.

3. Frigideira

Com bordas baixas e retas, a frigideira é o utensílio indicado para selar, grelhar ou fritar legumes e carnes. Devido ao formato, não retém calor em seu interior, de modo que ele fica concentrado apenas na superfície do fundo, que entra em contato direto com os alimentos. A seguir, confira os tipos mais comuns de frigideira e suas características:

  • Tradicional: trata-se do modelo mais versátil e comum, disponível em materiais variados, podendo ter ou não camada antiaderente. É a melhor escolha para quem busca um utensílio curinga para preparações diversas.
  • Wok: é um pouco mais funda que a frigideira tradicional, permitindo saltear, grelhar ou fritar maiores quantidades de alimento. É usada principalmente no preparo de pratos orientais, como pad thai e yakisoba.
  • Omeleteira: consiste, na verdade, em um conjunto de duas frigideiras, sendo que uma delas é utilizada virada para baixo, como tampa. Além de reter o calor, o modelo facilita na hora de virar a omelete.
  • Panquequeira: com bordas baixas e base reta, é ideal para fazer panquecas e tapiocas, pois a massa tem maior superfície de contato com o fundo do recipiente. Além disso, o formato favorece a virada do alimento, tornando-a mais fácil e rápida.
  • Bistequeira: com formato redondo ou retangular, é uma frigideira grande e com ranhuras no fundo, simulando o aspecto que a grelha deixa nos alimentos. É usada para preparar bifes, bistecas, filés ou mesmo vegetais.

4. Panela de pressão

Normalmente feita de alumínio ou inox, a panela de pressão reduz consideravelmente o tempo de preparo dos alimentos. Como possui tampa hermética, combina alta temperatura com pressão de vapor no cozimento. Por esse motivo, é o melhor utensílio para cozinhar carnes duras, mandioca e grãos, como feijão e grão-de-bico. Para quem tem receio de usar a versão tradicional, também há modelos de panela de pressão elétrica.

5. Sauteuse

A sauteuse é parecida com uma frigideira, porém tem as laterais curvadas e mais altas, conservando melhor a temperatura. Como o próprio nome indica, seu uso mais indicado é para saltear alimentos, mas também pode ser utilizada para refogados e frituras. O modelo mais tradicional é o de ferro fundido, material que aprimora ainda mais a retenção do calor.

6. Caldeirão

Com um formato similar ao da caçarola, o diferencial do caldeirão é o tamanho e a profundidade, que são consideravelmente maiores. Assim, ela é indicada para preparar grandes porções ou alimentos que demandam maior tempo de cozimento ou quantidade de água. Sopas, ensopados, macarronada e feijoada são bons exemplos de pratos para fazer nesse utensílio.

Com conhecimento e técnica, seus preparos culinários têm tudo para ficarem melhores a cada dia. Afinal, não é apenas a seleção dos ingredientes que conta no momento de cozinhar. Escolher os utensílios mais adequados para o método de cocção e o resultado pretendido é um ponto crucial para o sucesso de qualquer prato.

5 tipos de materiais mais comuns na fabricação de panelas

Além de formato e modelo, o tipo de material da panela é outra característica essencial a se considerar. Esse aspecto influencia, por exemplo, no tempo de cozimento, na textura e na composição final do prato – visto que, a depender do material, algumas substâncias podem ser transferidas aos alimentos durante seu preparo. Conheça as opções mais comuns e saiba para quais situações cada uma é indicada:

  • Panela de alumínio: por ser uma opção econômica, esse é um dos tipos de panela mais comuns. Caracteriza-se por ter uma boa condução térmica e pode ser usada em fogões diversos, com exceção dos modelos por indução. É ideal para frituras, mas é preciso ter cuidado com o revestimento interno, pois pode haver transferência de alumínio para o alimento preparado.
  • Panela antiaderente: normalmente é feita de alumínio e revestida com teflon, impedindo que os alimentos grudem e possibilitando o cozimento sem óleo. É usada para preparos fritos, grelhados, salteados e refogados, sendo indicada para a maioria dos tipos de fogão, exceto os de indução. A limpeza precisa ser cuidadosa, com o lado macio da esponja, para não danificar a camada antiaderente.
  • Panela de inox: resistente e durável, esse material distribui bem o calor. Isso permite cozinhar os alimentos uniformemente e evita que grudem tanto quanto em uma panela de alumínio, por exemplo. É indicada para todos os tipos de fogão, inclusive nos modelos de indução.
  • Panela de barro: é ideal para preparos mais úmidos, como sopas e caldos, pois a perda facilitada de água tende a deixar certos alimentos muito secos. Esse utensílio tradicional mantém os pratos quentes por bastante tempo, podendo ser utilizado nos fogões com chama em geral, incluindo a lenha e o forno.
  • Panela de ferro: muito resistente, essa opção retém bem o calor e o distribui uniformemente, sendo ótima para alimentos que demandam longo tempo de cozimento. É indicada para todas as variedades de fogão e pode transferir ferro para a comida, o que é um ponto positivo.

Se você pensava que o preço era a única diferença relevante entre os diversos tipos de panela disponíveis do mercado, agora já sabe que há outros fatores a se levar em conta, certo? Conhecendo os principais modelos e materiais, você estará apto(a) a selecionar a opção que melhor atende às suas necessidades.

Como escolher as melhores panelas para compor seu kit de cozinha

São muitos os tipos de panela existentes, mas, se a ideia for adquirir apenas os utensílios básicos, são duas as opções que não podem faltar na sua cozinha: a panela com cabo e a frigideira. Com essa dupla versátil, é possível preparar todos os pratos mais comuns do dia a dia.

No caso da panela com cabo, considere adquirir um modelo de inox, pois a durabilidade, a segurança e a boa retenção de calor do utensílio valem o investimento. Quanto ao cabo, dê preferência aos revestidos com madeira ou outro material, para que o manuseio fique mais prático quando a panela estiver aquecida.

Já para escolher a frigideira, caso não seja viável comprar os modelos específicos para cada uso, a dica é optar por uma opção tradicional com camada antiaderente. Isso possibilitará o preparo de diversas receitas com uso reduzido de óleo.

Se você já possui as panelas básicas e quer completar a sua cozinha, também é interessante adquirir uma caçarola grande, que permita preparar refeições em maior quantidade. Lembrando que, no caso de alimentos que têm cozimento demorado, a panela de pressão é uma grande aliada na economia de tempo e gás – ou eletricidade, se for o caso.

Por fim, o que determinará quais são os melhores tipos de panela para compor a sua cozinha são, sobretudo, os seus hábitos culinários. Portanto, em conjunto com as dicas aqui apresentadas, leve-os em conta para escolher seus utensílios. Para continuar aprimorando seus conhecimentos gastronômicos, leia também sobre os métodos de cocção mais adequados para cada alimento.



Fonte: Receiteria

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.